21 de setembro de 2017

H. G. Wells - Literatura - Historiador - Pensador - Vida


Nascido num distrito (borough) da Grande Londres, na juventude foi, sem sucesso, aprendiz de negociante de panos - a sua experiência nesta ocupação veio mais tarde a ser usada como material para o romance Kipps. Em 1883, tornou-se professor na Midhurst Grammar School, até ganhar uma bolsa na Escola Normal de Ciências em Londres, para estudar biologia com T. H. Huxley.

Nos seus primeiros romances, descritos, ao tempo, como "Romance científico", inventou uma série de temas que foram mais tarde aprofundados por outros escritores de ficção científica, e que entraram na cultura popular em trabalhos como A Máquina do Tempo, O Homem Invisível e A Guerra dos Mundos. Outros romances, de natureza não fantástica, foram bem recebidos, sendo exemplos a sátira à publicidade edwardiana Tono-Bungay e Kipps.e

Visionário, chegou a discutir em obras do início do século XX questões ainda atuais, como a ameaça de guerra nuclear, o advento de Estado Mundial e a Ética na manipulação de animais.

Desde muito cedo na sua carreira, Wells sentiu que devia haver uma maneira melhor de organizar a sociedade, e escreveu alguns romances utópicos. Começavam em geral com o mundo a caminhar inexoravelmente em direcção de uma catástrofe, até que as pessoas se apercebiam da existência de uma maneira melhor para viver: ou através dos gases misteriosos de um cometa, que fariam com que as pessoas começassem subitamente a comportar-se racionalmente (Os Dias do Cometa), ou pela tomada do poder por um conselho mundial de cientistas, como em The Shape of Things to Come (1933), livro que o próprio Wells adaptou mais tarde para o filme de Alexander Korda Daqui a Cem Anos (1936). Aqui descrevia-se, com demasiada exactidão, a guerra que estava a chegar, com cidades a serem destruídas por bombardeamentos aéreos.

Ele analisa a dicotomia entre a natureza e a educação e questiona a humanidade em livros como A Ilha do Dr. Moreau. Nem todos os seus romances terminam em feliz Utopia, como mostra o distópico When the Sleeper Awakes. "A Ilha do Dr. Moreau" ainda é mais sombria. O narrador, após ficar encurralado numa ilha cheia de animais vivissectados (sem sucesso) até se transformarem em seres humanos, acaba por regressar à Inglaterra e, tal como Gulliver no regresso do país dos Houyhnhms, vê-se incapaz de afastar a percepção dos membros da sua própria espécie como bestas só ligeiramente civilizadas, regressando a pouco e pouco à sua natureza animal.

Wells chamava às suas ideias políticas "socialistas", e com o seu gosto por utopias, olhou inicialmente com bastante simpatia para as tentativas de Lenin de reconstruir a destroçada economia russa, como mostra o seu relato de uma visita ao país (Russia in the Shadows, 1920). No entanto, desiludiu-se com a crescente rigidez doutrinária dos bolcheviques e, após um encontro com Josef Stálin, convenceu-se de que a revolução correra terrivelmente mal. Nisto foi provavelmente mais clarividente do que muitos dos intelectuais do seu tempo.[nota 1]

À medida que envelhecia, Wells foi-se tornando cada vez mais pessimista acerca do futuro da humanidade, como é sugerido pelo título do seu último livro, Mind at the End of its Tether. Os seus últimos livros tendiam a pregar mais do que a contar uma história, e não tinham a energia e inventiva dos trabalhos iniciais. É conhecido como o pai da ficção científica.


"É inútil ficar sentado em meio a todas essas coisas desconhecidas, tentando resolver um enigma. Você acabará monomaníaco. 
Encare este mundo. 
Aprenda-lhe os costumes, observe-o, não tire conclusões apressadas. 
No fim você acabará encontrando todas as respostas"

H.G.Wells

Arthur Schopenhauer - Literatura - Filósofo - Vida


Arthur Schopenhauer

Arthur Schopenhauer foi um filósofo alemão do século XIX da corrente irracionalista. Nasceu em Danzig, na Polônia, no dia, 22 de Fevereiro 1788 e morreu em Frankfurt am Main, 21 de Setembro 1860.

Pessimista em sua visão do mundo considerou ser a Vontade, a última e a mais fundamental força da natureza, que se manifesta em cada ser no sentido da sua total realização e sobrevivência. O conceito de Vontade deste filósofo diz respeito a algo infinito, uno, indizível, e não a uma vontade finita, individual, ciente. Ela estaria presente no homem, como em toda a natureza. Para Schopenhauer, a realidade é vontade irracional, onde o finito nada mais é que mera aparência da realidade. A vontade infinita, traz com ela a característica da insaciabilidade, sendo então algo conflituoso que geraria dor e sofrimento ao homem.

Iniciou estudos de medicina na universidade de Gottingen, mudando depois para filosofia, na universidade de Berlim. Sua tese Vierfach Wutzel der Zats uber zurechern Grund (Sobre a quádrupla raiz do princípio da razão suficiente) foi escrita em 1813. O difícil convívio com sua mãe com certeza marcou sua personalidade mas ela lhe permitiu conhecer intelectuais como Goethe (1749-1832), que frequentavam sua casa em Weimar, centro da vida cultural alemã em sua época. Com a herança recebida do pai pôde viver sua vida de solteiro com relativo conforto e inteiramente entregue ao seu trabalho intelectual. Seu principal livro, Die Welt als Wille and Vorstellung ou "O Mundo como vontade e representação" (1819), embora o seu livro Parerga e Paraliponema (1851) seja o mais conhecido.


"A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de caráter, e quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem."

Arthur Schopenhauer

20 de setembro de 2017

Gregório de Matos Guerra - Escritor - Poeta - Vida


No dia 23 de dezembro de 1636 nascia, em Salvador (BA), o escritor Gregório de Matos Guerra, conhecido como Boca do Inferno ou Boca de Brasa. Morto no dia 26 de novembro de 1695, ele é considerado um dos grandes poetas barrocos do Brasil e também ficou conhecido pelas suas críticas corrosivas contra a Igreja Católica, políticos e a cidade de Salvador.

Nascido em um família com boa situação financeira, Gregório de Matos mudou-se para Portugal em 1652 para estudar na Universidade de Coimbra, onde se formou cânone, em 1661.

A partir daí, assume alguns funções jurídicas no governo português.

Em 1682 foi nomeado por D. Pedro II tesoureiro mor da Sé.

No ano seguinte, retornou ao Brasil.

Sua vida começou a mudar em seguida, após seu desentendimento com o arcebispo na Bahia – a quem Gregório de Matos deveria se reportar – e foi destituído do cargo.

A partir de então, ele começa a satirizar em seus poemas a Igreja, os costumes e a cidade de Salvador.

Desenvolve uma poesia corrosiva, erótica/pornográfica e, por conta disso, foi colecionando inimizades.

Gregório de Matos passou a receber ameaças e, em 1694, acusado por vários lados, foi deportado para Angola.

Lá, ele ajudou o governo local a combater uma conspiração militar e recebeu a permissão de voltar ao Brasil.

Contudo, decidiu morar em Recife, onde morreu no dia 26 de novembro de 1695 por conta de uma doença contraída em Angola.


O honesto é pobre, o ocioso triunfa, o incompetente manda. 
Porém, se acaba o sol, por que nascia? 
Se é tão formosa a luz, por que não dura? 
[Gregório de Matos]


Sophia Loren - Atriz - Vida


Sophia Loren, nome artístico de Sofia Constanza Brigida Villani Scicolone [soˈfiːa vilˈlaːni ʃikoˈloːne], (Roma, 20 de setembro de 1934) é uma atriz italiana. Quando ainda era muito pequena, sua família transferiu-se ao município napolitano de Pozzuoli, onde viveu até a adolescência em uma situação econômica muito difícil. Encorajada a tomar aulas de atuação após participar de um concurso de beleza, Loren começou sua carreira no cinema em 1950. Aos 15 anos, apareceu em vários papéis menores até ser contratada para cinco filmes pela Paramount em 1956, lançando sua carreira internacional. Atuou em filmes notáveis como The Pride and the Passion, Houseboat, It Started in Naples.

Sophia Loren ganhou fama internacional em 1962, quando recebeu o Oscar de Melhor Atriz pelo filme Duas mulheres, que também lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes. Ela detém o recorde por ter recebido seis David di Donatello Awards de Melhor Atriz, o maior número já recebido, pelos filmes: Duas Mulheres (1960); Ontem, Hoje e Amanhã; Matrimônio à Italiana (pelo qual ela foi nomeada para um segundo Oscar); I girasoli; A viagem (1974); e Um Dia Muito Especial. Sua carreira atingiu o auge em 1964, quando recebeu 1 milhão de dólares para estrelar o filme A Queda do Império Romano.

Além do Oscar, ela ganhou um Grammy Award, cinco Globos de Ouro especiais, um Bafta, o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes, e o Oscar Honorário em 1991. Em 1995, ela recebeu o Prêmio Cecil B. DeMille pelas realizações ao longo da vida. Em 1999, Sophia Loren foi reconhecida como uma das 25 maiores lendas do cinema norte-americano do sexo feminino na pesquisa do American Film Institute, da AFI's 100 Years...100 Stars.

Depois de constituir família no início dos anos 70, Loren passou a dedicar menos tempo a sua carreira de atriz e optou por fazer apenas aparições em filmes ocasionais. Nos últimos anos, ela ainda apareceu em filmes americanos como Grumpier Old Men e Nine.

Lina Wertmüller desejava filmar Tieta de Jorge Amado, antes da produção de Cacá Diegues e a protagonista seria Sophia Loren.


19 de setembro de 2017

Madredeus - Músicos - Destaque


Os Madredeus são um dos grupos musicais portugueses de maior projeção mundial. A sua música combina influências da música popular portuguesa e do fado, com a música erudita e com a música popular contemporânea.

A musicalidade do grupo foi erroneamente referida como fado, gênero musical português mais conhecido internacionalmente, sobretudo pela imprensa fora de Portugal.

Nos seus vinte anos de carreira, os Madredeus lançaram 14 álbuns e estiveram em turné em 41 países — incluindo a Coreia do Norte e um festival de música na Noruega, dentro do Círculo Polar Árctico, vendendo mais de três milhões de cópias.

Madredeus - O Mar "Saudade"


Arte - Foto - Atriz


Ingrid Bergman 1935

History in Moments‏

Charles Bukowski - Literatura - Escritor - Poeta - Biografia


Charles Bukowski

Charles Bukowski (1920-1994) foi um poeta e escritor alemão que viveu e morreu nos Estados Unidos. Autor de diversas obras é um dos escritores mais conhecidos dos Estados Unidos.

Charles Bukowski nasceu na Alemanha, no dia 16 de agosto de 1920. Filho de uma jovem alemã e um soldado americano que retornou para os Estados Unidos quando Charles ainda era criança. Charles teve uma infância e adolescência sofrida, pela falta de amigos e por ser constantemente espancado por seu pai. Esses momentos em sua vida o levaram a fugir de casa e iniciar seu vício em bebidas alcoólicas e ao mesmo tempo começar a escrever. Com 15 anos escreveu suas primeiras poesias, mas seu primeiro livro só foi publicado 20 anos depois.

As obras do escritor eram muito apreciadas pelos jovens. Muitos de seus poemas foram adaptados para o cinema e estão presente em diversos álbuns, músicas e letras de diversas bandas, entre elas: Red Hot Chilli Peppers, Anthrax, Apollo 440 e Bad Rádio.

Bukowski publicou mais de 50 livros, entre eles: "Cartas na Rua" (1971), "Mulheres" (1978), "Misto Quente" (1982) e "Hollywood" (1989). Seus livros mais recentes são as publicações póstumas: "Open all Night: New Poems" (2000), "Beerspit Night & Cursing: The Correspondence of Charles Bukowski & Sheri Martinelli" 1960-1967 (2001), "The Night Torn Mad With Footsteps" (2001), "Sifting Through the Madness for the Word, the Line", "The Way: New Poems" (2003).

 
"A gente se agarra aos costumes como um rochedo, quando deveríamos soltar e mergulhar no mar. 
E viver. "

Charles Bukowski

Antônio César Camargo Mariano - Músico - Compositor - Biografia


Antônio César Camargo Mariano (São Paulo, 19 de setembro de 1943) é um pianista e arranjador brasileiro de renome internacional, pai da cantora Maria Rita, do cantor Pedro Mariano ,da produtora musical Luísa Camargo Mariano e do baixista Marcelo Mariano. É, desde os 16 anos, profissional da área musical.

Biografia

Filho de um professor de música, começa a tocar piano por conta própria, e aos quatorze anos passa a ser apresentado como "menino prodígio" em espetáculos em que acompanha bandas de jazz. Em seguida fez amizade com Johnny Alf, que o incentivou a estudar harmonia, arranjo e composição. Logo começa a atuar como profissional na Orquestra de William Furneaux, e em 1962 forma o grupo "Três Américas", que toca em festas e bailes.

No ano seguinte vai para São Paulo e integra o "Quarteto Sabá", com quem grava o primeiro LP. Em seguida vem o "Sambalanço Trio", ao lado de Airto Moreira e Humberto Claiber, que grava um disco com Lennie Dale e ganha prêmios. No fim da década é contratado pela TV Record de São Paulo, onde trabalha como instrumentista e arranjador, e grava discos com seu novo grupo, "Som Três". Participou como jurado de festivais de música da Record.

Nos anos setenta tem início uma bem-sucedida parceria com Elis Regina e logo após casou-se com ela. César atua como diretor musical, produtor e arranjador da cantora, excursionando pelo Brasil e por vários países. Também participa de trabalhos com Chico Buarque, Maria Bethânia, Jorge Ben e outros. Na mesma época, entra no mercado de jingles e canções para cinema e propaganda.

Na década de oitenta César gravou dois discos considerados históricos: "Samambaia", com o guitarrista Hélio Delmiro, e "Voz e Suor", com a cantora Nana Caymmi. Em 1987, sua música instrumental "Mitos" é usada como tema de abertura da telenovela Mandala (telenovela), de Dias Gomes, na Rede Globo. Ainda nesta década, apresenta o programa "Um Toque de Classe", na Rede Manchete.

Foi o primeiro a utilizar teclado sintetizador nos seus arranjos musicais. Continua atuando como arranjador, produtor, compositor e pianista no Brasil até 1994, quando se muda para os Estados Unidos, onde começa a trabalhar com o compositor Sadao Watanabe, que o leva a turnês no Japão. Mesmo nos EUA, continua em contato permanente com os maiores nomes da MPB, dirigindo e produzindo discos e espetáculos.

É pai dos cantores Maria Rita e Pedro Mariano,


Paulo Freire - Pensador - Educador - Vida


Paulo Freire

Paulo Freire nasceu o Recife, Pernambuco, no dia 19 de setembro de 1921. Formou-se em Direito na Faculdade de Direito do Recife. Tinha preocupação com o grande número de adultos analfabetos. Por seu empenho em ensinar os mais pobres, criou um método baseado no vocabulário de cada região. Tornou-se uma inspiração para gerações de professores, especialmente na América Latina e na África.

Suas primeiras experiências aconteceram no Rio Grande do Norte, em 1963, quando ensinou 300 adultos a ler e a escrever em 45 dias. Seu projeto educacional estava vinculado ao nacionalismo desenvolvimentista do governo João Goulart, mas sua carreira no Brasil foi interrompida pelo golpe militar de 31 de março de 1964. Acusado de subversão, ele passou 72 dias na prisão e em seguida partiu para o exílio. No Chile, trabalhou por cinco anos no Instituto Chileno para a Reforma Agrária (ICIRA). Nesse período, escreveu o seu principal livro: "Pedagogia do Oprimido" (1968).



Em 1969, lecionou na Universidade de Harvard (Estados Unidos), e na década de 1970, foi consultor do Conselho Mundial das Igrejas (CMI), em Genebra (Suíça). Nesse período, deu consultoria educacional a governos de países pobres, a maioria no continente africano, que viviam na época um processo de independência.

No final de 1971 fez sua primeira visita a Zâmbia e Tanzânia. Em seguida, passou a ter uma participação mais significativa na educação de Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe. E também influenciou as experiências de Angola e Moçambique.

Em 1980, depois de 16 anos de exílio, retornou ao Brasil, onde escreveu dois livros tidos como fundamentais em sua obra: "Pedagogia da Esperança" (1992) e "À Sombra desta Mangueira" (1995). Lecionou na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Em 1989, foi secretário de Educação no Município de São Paulo, sob a prefeitura de Luíza Erundina.

Doutor Honoris Causa por 27 universidades, Freire recebeu prêmios como: Educação para a Paz (das Nações Unidas, 1986) e Educador dos Continentes (da Organização dos Estados Americanos, 1992). Faleceu em São Paulo, no dia 2 de maio de 1997.


Zack Magiezi - Literatura - Poeta - Poema


Zack Magiezi é um autor e poeta brasileiro que alcançou a fama através das redes sociais com sua página Estranherismo.


"...pessoas que não me conhecem criam versões minhas

criam as minhas opiniões

criam os meus pensamentos

criam as minhas verdades

criam a minha voz

criam os meus gostos

criam os meus gestos

criam os meus defeitos

criam as minhas palavras

pessoas que não me conhecem brincam de deuses

e não descansam no sétimo dia."



Zack Magiezi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...