6 de agosto de 2017

Arte - Fotografia - Lewis Wickes Hine


Lewis Wickes Hine (Oshkosh, Wisconsin, 26 de setembro de 1874 – Hastings-on-Hudson, Nova Iorque, 3 de novembro de 1940) foi um fotógrafo e sociólogo estadunidense pioneiro da fotografia documental e importante figura da mudança na legislação de trabalho infantil nos Estados Unidos, com mais de 5 mil fotografias sob a guarda da Biblioteca do Congresso.

Biografia

Estudou Sociologia em Chicago e Nova Iorque entre 1900 e 1907 antes de trabalhar na Ethical Culture Fieldston School.

Comprou sua primeira câmera fotográfica em 1903, dedicando-se à fotografia a partir de 1905 a fim de divulgar a miséria que presenciava em Nova Iorque. Em 1908, publicou Charities and the Commons, uma coleção de fotografias de cortiços e fábricas. Para Hine, "a imigração aos Estados Unidos não ofereceu a chance de se ver o país abrigando os famintos da Europa, antes, ofereceu a oportunidade de ver como milhões terminaram vivendo marginalizados em cortiços superpovoados, ganhando pequenos salários".

Comissionado pelo Cômite Nacional do Trabalho Infantil (NCLC) em 1908 para o Inquérito de Pittsburgh, trabalhou como fotógrafo investigativo até 1924. Durante esse período, viajou pelo país documentando as condições de trabalho em diversos tipos de indústrias e publicou os livros Child Labor in the Carolinas e Day Laborers Before Their Time, ambos em 1909.

Em 1916, o Congresso dos Estados Unidos aprovou o Ato Keating-Owen. Owen Lovejoy, nessa ocasião o presidente do NCLC, escreveu que "o trabalho que Hine fez para essa reforma foi mais responsável por isso que todos os outros esforços para trazer essa necessidade à atenção pública." "Power house mechanic working on steam pump," 1920

Durante a Primeira Guerra Mundial, trabalhou para a Cruz Vermelha. Após o Armistício de Compiègne, viajou para os Bálcãs e em 1919 publicou The Children's Burden in the Balkans. Raising the Mast, Empire State Building, 1932.

Em 1930, a pedido de Belle Moskowitz, Hine trabalhou como o fotógrafo oficial do Empire State Building, usando os registros da construção do edifício no livro Men at Work, publicado em 1932.Após isso, foi mandado pela Cruz Vermelha para que fotografasse as consequências da seca em Arkansas e Kentucky.

Nos seus últimos anos de vida, Hine encontrou novo respeito e reconhecimento por sua fotografia social, principalmente pelos novos fotógrafos da Photo League. No começo de 1939, foi realizada uma exposição de retrospectiva no extinto Museu Riverside, em Nova Iorque.

Apesar disso, ele teve dificuldade de ganhar dinheiro com as suas fotos, tendo elas sido recusadas pela revista LIFE e pela Farm Security Administration.

Em janeiro de 1940, perdeu a sua casa após não conseguir quitar as dívidas com a Home Owners Loan Corporation.

Morreu em extrema pobreza em 3 de novembro de 1940.



maria tereza cichelli
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...